Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Estupro

Polícia investiga suspeita de estupro de crianças de três e quatro anos em escola

Um auxiliar de aulas de Educação Física, de 22 anos, da escola particular, é apontado como suspeito e nega as acusações

11/10/2019 12h31
Por: Fernanda Souza
Fonte: D24am
436
Reprodução
Reprodução

A Polícia Civil de Minas Gerais investiga pelo menos dois casos de suspeita de estupro de crianças que teriam ocorrido no Colégio Magnum, escola particular de Cidade Nova, bairro de classe média de Belo Horizonte. Entre as vítimas estariam dois irmãos, um menino e uma menina, de três e quatro anos. Um auxiliar de aulas de Educação Física, de 22 anos, é apontado como suspeito e nega as acusações.

A denúncia à polícia foi feita pela mãe dos irmãos. Outras duas famílias, com filhos de três anos na escola, também teriam feito queixas. A polícia não confirma a informação, pois foi decretado sigilo sobre o caso. As investigações tiveram início na última sexta-feira (4). Até quinta-feira (10), a Polícia Civil havia tomado 37 depoimentos de pais, alunos e representantes da escola.

O suspeito ainda não foi ouvido. A corporação cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do rapaz. Um telefone celular foi apreendido e encaminhado para perícia. Ele nega as acusações e afirma que foi demitido. “Não sei por que estão fazendo isso. Disseram (a escola) que estavam passando por momento financeiro difícil, mas a demissão ocorreu depois da denúncia”, afirmou.

A reportagem não conseguiu contato com as famílias das crianças. Procurado, o Colégio Magnum informou que foi procurado “pelas autoridades sobre a investigação de um caso de uma suposta ocorrência”. A escola disse que “o afastamento do suspeito, na última semana, visou preservar a integridade de todos os envolvidos e a transparência da apuração do caso”.

O colégio informou, também, que vai realizar uma revisão de todo o sistema de segurança eletrônica. “A entrada de todos os banheiros terá monitoramento por câmeras. Cada banheiro da escola terá uma pessoa responsável pela fiscalização. Todas as crianças da educação infantil continuarão a ser acompanhadas ao banheiro por uma monitora, que permanecerá no local junto com a fiscal de banheiro até que a criança seja acompanhada no retorno para a sala”, descreve a nota.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.