E-mail

ola@portalholofote.com

WhatsApp

(92) 99183-2565

Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Justiça

Goleiro Bruno consegue liberação da Justiça pra voltar a jogar futebol

O jogador de 35 anos foi condenado a mais de 20 anos de prisão por participação na morte da modelo Eliza Samudio.

20/01/2020 13h13Atualizado há 1 mês
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: UOL
160
Reprodução
Reprodução

O goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza conseguiu liberação da Justiça de Minas Gerais para morar em Mato Grosso e trabalhar no Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense, de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. O jogador de 35 anos foi condenado a mais de 20 anos de prisão por participação na morte da modelo Eliza Samudio, mas se encontra em regime semiaberto desde 2019.

A decisão foi proferida pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da Vara de Execução em Meio Aberto e Medidas Alternativas da Comarca de Varginha (MG).

Na semana passada, o Ministério Público Estadual de Minas Gerais já havia assinado parecer favorável à contratação de Bruno pela equipe. “Considerando que a obtenção de trabalho foi uma das condições assumidas para o cumprimento da pena no regime semiaberto em prisão domiciliar e tendo em vista a  profissão que sempre exerceu o reeducando e o teor da proposta de emprego por ele apresentada, o Ministério Público não se opõe ao requerimento”, diz trecho do documento.

Repúdio

De acordo com o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso (CEDM/MT), em nota, uma pessoa que tenha sido condenada pelo crime de homicídio tem o direito a recomeçar a vida, assim como no âmbito profissional. Contudo, não deve ocupar uma posição de "ídolo".

“Trata-se de alguém que demonstrou profundo ódio e total desrespeito às mulheres ao tratar dessa forma cruel e bárbara aquela que seria a mãe do seu filho”, afirma trecho da nota emitida pelo conselho.

“Mesmo tendo cumprido parte da pena pela morte de Eliza Samudio e tendo obtido na Justiça a progressão de regime para o semiaberto,a gravidade dos crimes cometidos por Bruno Fernandes impõe que ele seja tratado com mais rigor e não como se fosse um ‘ídolo’ que merece ser disputado por clubes de futebol”, aponta a entidade.

Caso Eliza Samudio

Em 2013, Bruno foi condenado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação de cadáver. O crime aconteceu em 2010, e logo depois o goleiro foi preso, acusado de envolvimento no assassinato da ex-namorada, com quem teve um filho.