Domingo, 09 de Maio de 2021 04:14
(92) 99183-2565
Brasil Caso Henry

Justiça nega pedido de afastamento de Dr. Jairinho da Câmara

Juíza titular informou que é preciso aguardar a decisão final do processo que envolve o vereador e a mãe do menino Henry, Monique Medeiros

14/04/2021 12h41
292
Por: Fernanda Souza Fonte: O Dia
Reprodução
Reprodução

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) negou, nesta quarta-feira (14), o pedido de afastamento do vereador Dr. Jairinho na Câmara de Vereadores, solicitado pela bancada do PSOL. A decisão é da juíza Mirela Erbisti, da 3ª Vara de Fazenda Pública do TJRJ. Na liminar, a juíza fez referência ao caso da morte do menino Henry Borel, de 4 anos. “Por maior que seja o clamor social por Justiça, a liminar em questão esbarra em dois princípios inafastáveis, quais sejam o da presunção de inocência e o da separação dos poderes".

A juíza Mirela Erbisti também citou os itens que a impede de autorizar o afastamento do vereador na Câmara. "Por mais que o sistema de freios e contrapesos permita o controle do Poder Legislativo pelo Judiciário, não autoriza a intervenção no caso em tela, em que um vereador eleito pela vontade do povo seja afastado da função por um membro do Poder Judiciário sem condenação criminal ou administrativa".

O afastamento do vereador, portanto, só poderá ser definido quando todo o processo do envolvimento na morte do menino Henry for finalizado pela Polícia Civil e do Ministério Público.

O pedido da bancada do PSOL citava que o vereador teria que ser suspenso cautelarmente do exercício das funções públicas, além disso, pediam também pela suspensão do funcionamento do gabinete parlamentar e todas as suas prerrogativas funcionais enquanto durar o inquérito policial, independentemente de um possível habeas corpus.

A bancada do PSOL entende que um parlamentar acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e contra pessoa indefesa, não pode continuar exercendo mandato público.

Dr. Jairinho já havia sido afastado do Conselho de Ética

O Conselho de Ética da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro decidiu, na quinta-feira (8), afastar o vereador Dr. Jairinho (sem partido), que foi preso temporariamente suspeito pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos. Os membros do conselho decidiram apresentar representação contra o vereador por falta de decoro.

Também na quinta-feira (8), Dr. Jairinho foi expulso de seu antigo partido, o Solidariedade. Tanto a expulsão do partido, quanto o afastamento do Conselho de Ética, foram motivados pela prisão do vereador, na manhã de hoje, como suspeito pela morte de Henry Borel.

Dr. Jairinho foi levado da Cadeia Pública de Benfica, na Zona Norte, para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste. Henry é filho de Monique Medeiros com o engenheiro Leniel Borel. Ela também foi presa. Para a Polícia Civil, o menino foi assassinado após sofrer sessões de tortura.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Manaus - AM
Atualizado às 05h13 - Fonte: Climatempo
23°
Chuva fraca

Mín. 23° Máx. 28°

23° Sensação
7 km/h Vento
100% Umidade do ar
90% (20mm) Chance de chuva
Amanhã (10/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 29°

Sol com muitas nuvens e chuva
Terça (11/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 30°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.