E-mail

ola@portalholofote.com

WhatsApp

(92) 99183-2565

Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Atenção

Conselheira tutelar afirma que crianças do AM estão na mira de sequestradores

Fabiana foi quem encontrou e resgatou Edilene Cordeiro da Silva, de apenas 9 anos, sequestrada na Colônia Antônio Aleixo

12/02/2020 15h38Atualizado há 6 dias
Por: Fernanda Souza
Fonte: Maskate
20.278
Reprodução
Reprodução

Não deixem os filhos de vocês saírem sozinhos. Estão sequestrando crianças, isso é real. Não é lenda. As palavras da Conselheira Tutelar de Iranduba, Fabiana Vieira, são um alerta chocante. Fabiana foi quem encontrou e resgatou Edilene Cordeiro da Silva, de apenas 9 anos, sequestrada na Colônia Antônio Aleixo, no começo do mês, e levada para a comunidade de Paricatuba, em Iranduba, onde era mantida como escrava e seria vendida. "Lá ela lavava, passava, foi queimada de cigarro. Esta numa bocada de fumo". Polícia, autoridades judiciárias e forças de segurança precisam dar uma resposta sobre essa denúncia. Duas mulheres e um homem estão presos. Mas quanto sequestradores de crianças estão livres?

CARRO PRETO

Um carro preto foi a Paricatuba levar Edilene não se sabe para onde. Edilene se escondeu embaixo da cama e escapou. A situação é semelhante a denúncia feita pela família de Gabriel, a criança de dois anos levada no bairro União da Vitória há uma semana. Até hoje o bebê não apareceu. Definitivamente estamos diante de um fato, e um fato preocupante. Além de proteger nossas crianças, espera-se que as autoridades identifiquem esse bandidos que ameaçam a vida dos pequenos.

ABANDONO

Tão cruel quanto essa denúncia é a situação de Edilene e da avó, "dona" Otília, que cria os netos em uma casa humilde, sozinha. Meus filhos verdadeiros me abandonaram. Tive 13 filhos para nada. Crianças e idosos em situação de abandono estão a olhos vistos em Manaus. Nas esquinas, nas portas das escolas, em casa, os casos se multiplicam. Os Conselhos Tutelares seguem trabalhando, assim como as delegacia especializadas, a polícia Civil e Militar, mas nada substitui a presença da família.