E-mail

ola@portalholofote.com

WhatsApp

(92) 99183-2565

Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Redução

Alívio no churrasco: preço da carne cai 4,03%

Em dezembro, a carne havia subido 18,06%.

07/02/2020 14h46
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: Extra
107
Divulgação
Divulgação

Após forte alta no fim do ano passado, o preço da carne recuou 4,03% em janeiro, informou nesta sexta-feira o IBGE, ao divulgar o IPCA, índice de inflação usado nas metas do governo. Em dezembro, a carne havia subido 18,06%.

A disparada nos preços foi provocada por um aumento de exportações para a China, que sofreu uma forte escassez de proteínas após um surto de peste suína africana, que levou o país a abater grande parte de seu rebanho de porcos. Com isso, o Brasil aumentou o número de exportações, reduzindo o volume disponível para o mercado interno.

Outros motivos para o alto preço da proteína no fim do ano foram o aumento também da demanda interna, visto que os supermercados estavam comprando mais para fazer estoque tanto para as confraternizações, quanto para as ceias de fim de ano; e a baixa oferta, causada pela entressafra devido à seca e reduzida oferta de boi de pasto disponível.

Em açougues do Rio de Janeiro, o preço cobrado dos clientes chegou a ficar até 30% mais caro, conforme pesquisa de preço feita pelo EXTRA. 

Este ano, no entanto, o surto de Coronavírus — pneumonia misteriosa causada pela cepa 2019-nCoV, até então desconhecida pelos cientistas — começou a impactar o preço de alguns produtos no mercado interno, sendo um deles a carne (visto que 40% desse item é enviado pra China e Hong Kong).

Com várias empresas cancelando o expediente na China ou adotando home-office, diversos trabalhadores deixaram de sair às ruas, fazendo com que o consumo em restaurantes caísse e a necessidade de importação também.

Inflação abaixo da meta

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,21% em janeiro, abaixo da previsão dos analistas, que previam alta de 0,36%. Foi a menor variação para janeiro desde o início do Plano Real, ou seja, em 25 anos.

O que ajuda a explicar esse resultado foi a desaceleração do grupo de alimentação e bebidas, principalmente por conta do preço carnes. Também ajudou a conter a inflação a alta menor da gasolina e a queda no preço das passagens aéreas.

— A desaceleração em componentes do serviço também contribuiu para o resultado. Embora a economia esteja se recuperando, a gente não sente isso de forma proeminente dentro da inflação — avaliou o gerente de índice de preços do IBGE, Pedro Kislanov.

Para o estrategista do Modalmais, Felipe Sichel, a baixa no preço da carne, somada a outros elementos como cuidados pessoais, pode impactar significativamente a projeção da inflação deste ano:

— Acho que essa combinação surpreende e vai levar a uma revisão das expectativas de inflação de 2020 para baixo. É um movimento que a gente já está observando no mercado.

Nos últimos 12 meses, o IPCA acumula alta de 4,19%. Em janeiro do ano passado, a taxa havia ficado em 0,32%.

O resultado de janeiro é o primeiro depois da mudança no cálculo, feito com base em uma nova cesta de produtos e serviços, apurada pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF).

Streaming, Uber e pets

Para acompanhar mudanças nos hábitos dos brasileiros, o IBGE incluiu 58 novos produtos e serviços que ganharam relevância no consumo das famílias nos últimos anos, como transportes por aplicativo, como Uber, que ficaram 0,54% mais baratos em janeiro, e serviços de streaming de vídeo, cujos preços ficaram estáveis.

Entraram também no cálculo despesas com animais domésticos, que também ficaram mais baratas no primeiro mês do ano: -0,13% no caso dos gastos com tratamento dos pets e -0,19% nos custos de higiene. E até o consumo de macarrão instantâneo entrou na conta, com queda de 1,32% em janeiro.

Manaus - AM
Atualizado às 02h20
29°
Nuvens esparsas Máxima: 32° - Mínima: 24°
33°

Sensação

15 km/h

Vento

79%

Umidade

Fonte: Climatempo
Pneu Forte - 300x250
Últimas notícias
Mais lidas