E-mail

ola@portalholofote.com

WhatsApp

(92) 99183-2565

Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Convênio

Governo encaminha primeiro cardiopata para cirurgia em São Paulo

Convênio assinado pelo governador Wilson Lima vai reduzir o tempo de espera na fila do Hospital Universitário Francisca Mendes

03/02/2020 14h22
Por: Fernanda Souza
Fonte: BNC
85
Reprodução
Reprodução

O pequeno Yran Lucas, de 1 ano e cinco meses, será o primeiro paciente amazonense com cardiopatia congênita a ser encaminhado para cirurgia no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, após parceria firmada pelo Governo do Amazonas.

Ele e a mãe, Mairucy Alencar de Sousa, embarcam na madrugada de segunda-feira, dia 3.

A iniciativa, que é uma das ações promovidas pela gestão estadual para reduzir o tempo de espera na fila do Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), na zona norte de Manaus, vai permitir que o hospital paulista opere crianças amazonenses por meio do Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

Yran Lucas foi diagnosticado ainda na maternidade com uma cardiopatia congênita conhecida como comunicação interventricular, ou sopro no coração, que consiste numa abertura na parede que separa os ventrículos direito e esquerdo. A maioria dessas más-formações se fecha com o tempo, mas muitas precisam de cirurgia corretiva, como no caso do filho de Mairucy.

Seleção

A liberação de Yran Lucas para a cirurgia no Hospital de São José do Rio Preto foi precedida por uma bateria de exames e avaliações feita no Hospital Francisca Mendes, em Manaus. Segundo o diretor-clínico da unidade amazonense, Dr. Mariano Terrazas, um Tratamento Fora de Domicílio desse tipo deve durar de 15 a 30 dias.

“A seleção está sendo feita pelos cardiopediatras do serviço, levando-se em conta, primeiro, o tempo que eles estão aguardando; segundo, o tipo de doença que eles têm, se essa doença e o estado clínico permitem a locomoção deles daqui via aérea para São Paulo, porque eles vão em avião normal via TFD, avião comercial, então eles têm que ter condições clínicas seguras para fazer uma viagem; em terceiro lugar, a Secretaria, preocupada com a situação dessas famílias que vão ser deslocadas, está colocando o serviço social da Susam para acompanhar essas crianças, para dar suporte, para que elas não tenham nenhuma dificuldade nesse tempo que elas vão ficar lá”, explicou o médico.

Segundo o Dr. Mariano Terrazas, caso algum fator de risco seja identificado durante os exames com as crianças pré-selecionadas pela equipe do Francisca Mendes, esses pacientes permanecerão em Manaus para serem operados no próprio hospital, que tem recebido aportes do Governo do Estado para ampliar a capacidade instalada tanto do centro cirúrgico quanto das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Reestruturação

De acordo com o secretário Estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, a realização de cirurgia por TFD não foi a única medida tomada pelo governador Wilson Lima para reduzir o tempo de espera de quem está na fila da cirurgia cardíaca. O governo iniciou ainda no ano passado um plano de reestruturação do Hospital Francisca Mendes.

As primeiras medidas já trouxeram resultados. O hospital realizou 52 cirurgias cardíacas em janeiro de 2020, um aumento de 67% em comparação com janeiro de 2019, quando 31 cirurgias foram realizadas.

Após o conserto das duas máquinas de hemodinâmica, 202 procedimentos também foram realizados no mês de janeiro, entre cateterismo, colocação de marca-passo, angiografia, arteriografia e outros.

De imediato, foram investidos R$ 1 milhão para instalar seis monitores multiparamétricos, quatro ventiladores pulmonares adultos e 130 acessórios de equipamentos. Os equipamentos começaram a ser instalados na última semana.

O reforço vai possibilitar a ampliação de sete leitos, sendo três infantis, além de aumentar o número de cirurgias cardíacas adultas e pediátricas de 15 para 25 por semana.