E-mail

ola@portalholofote.com

WhatsApp

(92) 99183-2565

Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Governo

Regina Duarte é convidada para Secretaria de Cultura

A atriz dará a resposta até este sábado (18/01/2020). As informações são da colunista Mônica Bergamo

17/01/2020 18h51
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: Metrópoles
129
Divulgação
Divulgação

A atriz Regina Duarte foi convidada pelo governo para assumir a Secretaria Nacional de Cultura, no lugar de Roberto Alvim, exonerado após discurso com citações ao ministro nazista Joseph Goebbels. A artista ficou de dar resposta até este sábado (18/01/2020). As informações são da colunista Mônica Bergamo e foram confirmadas pelo Metrópoles.

Regina Duarte já foi convidada para o cargo anteriormente, mas havia recusado a proposta. A atriz é conhecida por se alinhar a discursos de direita, tendo sido figura marcante nas manifestações favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff e declarado publicamente apoio a Jair Bolsonaro.

A interlocutores, Regina Duarte teria dito que estava animada com o convite, mas em dúvida se deveria aceitar o cargo.

A pasta está ligada ao Ministério do Turismo, chefiado por Marcelo Álvaro Antônio.

Discurso de inspiração nazista

Em vídeo, Roberto Alvim citou trechos de discurso do ministro da Propaganda do governo de Adolf Hitler, Joseph Goebbels, para anunciar o Prêmio Nacional das Artes e provocou reações.

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo, ou então não será nada”, disse Alvim.

Desligamento

Pelo Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou a exoneração de Alvim do cargo de secretário da Cultura.

“Comunico o desligamento de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do Governo. Um pronunciamento infeliz, ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência. Reitero nosso repúdio às ideologias totalitárias e genocidas, como o nazismo e o comunismo, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas.”