Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Extorsão

Estelionatário que se fingia de funcionário da Águas de Manaus é preso

Rogério de Araújo, 35, ameaçava cortar o fornecimento de água de moradores de Manaus, exigindo dinheiro para não fazer o corte.

05/12/2019 18h40
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: A Crítica
127
Reprodução
Reprodução

Rogério Abreu de Araújo, 35, foi preso na manhã desta quinta-feira (5), por policiais da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás, e Serviços de Telecomunicações (DECFS). Ele se passava por funcionário da concessionária de água Águas de Manaus para extorquir usuários ameaçando cortar o fornecimento, exigindo dinheiro para não fazer o suposto corte.

De acordo com o delegado titular da especializada, Paulo Benelli, a prisão de Rogério faz parte da ação policial denominada de “Operação Lisc”, que tinha como objetivo desarticular uma organização criminosa cujos integrantes são ex-funcionários da empresa.

Rogério foi preso na casa dele, no bairro Novo Aleixo, Zona Norte de Manaus, em cumprimento a mandado de prisão expedido pela juíza da Vara de Inquéritos Policiais Lina Marie Cabral.

Na casa do suspeito foram apreendidos equipamentos utilizados para a troca de tubulações de fornecimento de água que, segundo a polícia, eram utilizados por ele em ligações clandestinas de água.

A polícia procura por Harlison Araújo Pinto, 26, que faz parte na mesma organização e há um mandado de prisão em desfavor dele. De acordo com Benelli, Harlison é foragido da Justiça.

Ainda segundo Benelli, Rogério foi indiciado pelos crimes de estelionato e associação criminosa. Hoje à tarde (5) foi encaminhado para audiência de custódia.

Em nota a concessionária Águas de Manaus disse que a empresa apóia todo tipo de investigação sobre ações criminosas envolvendo tentativa, consumação de furto, extorsão ou intimidação que acontecem na capital contra seus cliente e os orienta a denunciar à polícia caso isso aconteça.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.