Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Desrespeito

Mesmo amparados por lei, idosos sofrem com o desrespeito nos ônibus

Até outubro de 2019, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas já registrou 6.147 crimes contra idosos. No transporte público, a Prefeitura de Manaus

04/12/2019 17h10
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: Em Tempo
119
Reprodução
Reprodução

Sofrer com o transporte público faz parte do cotidiano dos usuários em Manaus. Ônibus que circulam em condições decadentes, passagens cada vez mais caras, motoristas que ignoram os sinais de parada nos pontos de embarque e desembarque, desrespeito dentro dos veículos e passageiros que tornam os assentos preferenciais de pessoas com prioridade são alguns alguns dos problemas que a população, infelizmente, precisa enfrentar diariamente na capital amazonense. De janeiro a outubro deste ano, segundo a Prefeitura de Manaus, 21 reclamações de usuários sobre atendimento a idosos no transporte público foram denunciadas.

O efeito destas situações refletem mais intensamente em quem já faz parte da “melhor idade”.A reportagem esteve no Terminal da Matriz, localizado no bairro Centro, Zona Sul, para ouvir as experiências de idosos que já sofreram ou que ainda são vítimas de maus-tratos no transporte coletivo.

Conversamos também com pessoas mais jovens, que já testemunharam casos de violência contra o público da terceira idade. As reclamações mais comuns relatadas pelos entrevistados são de impaciência, pressa e humilhações. Na maioria dos casos, o agente causador é o próprio trabalhador (motorista ou cobrador) do meio de transporte público.

Em uma das várias paradas de linhas de ônibus na Matriz, uma idosa, que preferiu não ser identificada, relata que já sofreu várias situações de incômodo com os motoristas. 

“Recentemente aconteceu de eu entrar no ônibus e, por eu não estar com meu RG, pelo fato de o ter perdido em um assalto, ele [motorista] me pôs para fora. A sensação foi horrível porque eu tenho problema de saúde, e sofrer isso vindo de um motorista perverso desses é terrível”, lamentou a fonte, que, em meio ao sofrimento, já apresenta sinais de envelhecimento, como rugas em boa parte do rosto, principalmente na região dos olhos e da boca, além de cabelos brancos - maioria na raiz do couro cabeludo.

A vítima, ao informar ao condutor que faria um Boletim de Ocorrência (B.O.) contra ele, se surpreendeu com a resposta do condutor. "Ele gritou: 'eu não quero saber de B.O'. Então, eu tive que sair porque ele estava em tempo de me bater. Ou eu pagava, ou descia. Cheguei a descer, mas uma moça me salvou pagando a minha passagem”, lamentou a fonte em tom de tristeza.

No T1, a reportagem analisou como os fiscais da Superintendência Municipal dos Transporte Urbanos (SMTU) atuam contra casos de maus-tratos envolvendo idosos. Segundo informações repassadas pela assessoria do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), os agentes atuam monitorando as operações do transportes coletivos, informando e auxiliando os usuários nos terminais, orientando os motoristas, assim como aplicando penalidades vigentes no município. 

Conforme a lei, o prestador do serviço deverá transportar as pessoas com deficiência e idosos, com reserva de assentos. Atualmente, os profissionais trabalham divididos em três turnos, abrangendo os horários das 6h às 23h. Porém, no dia em que o Em Tempo foi até o local para tentar contato, deparou-se com as portas das cabines fechadas e nenhum agente presente no local.

Segurança Pública 

Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM) registrou 11.233 crimes contra idosos no ano de 2018. Até outubro de 2019, a pasta informou ao Em Tempo que já registrou 6.147. Entre os crimes mais comuns estão furto, com 1.641 registros; roubo, com 625, e 549 ameaças contra a categoria. 

Uma entrevista presencial foi marcada, pela Polícia Civil do Amazonas, com a delegada Andréa Nascimento, titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Idoso (DECCI), sobre casos de violência envolvendo o público da terceira idade: os mais comuns, e também se há registros envolvendo o transporte público, qual o papel da especializada diante desses casos e como geralmente acabam. No entanto, a autoridade policial desmarcou a entrevista. Posteriormente, a delegada se dispôs a responder os questionamentos via mensagens no WhatsApp, mas as respostas nunca chegaram à reportagem.  

Prefeitura

De janeiro a outubro deste ano, o IMMU registrou 21 reclamações de usuários sobre atendimento a idosos no transporte público. As reclamações mais comuns são: distratos em geral e o não atendimento ao sinal de paradas para o usuário.

Ao receber as reclamações, o Instituto enfatizou que analisa os dados fornecidos pelo usuário por meio do sistema de bilhetagem eletrônica e a empresa é notificada. Paralelo ao processo encaminhado à empresa de ônibus, o IMMU realiza cursos coordenados pelas equipes de Educação de Transporte para sensibilizar operadores (motoristas e cobradores) do sistema de transporte urbano.

O conteúdo inclui práticas de vivência no atendimento aos usuários do transporte coletivo, com especial atenção às pessoas com deficiência e aos idosos. Na ocasião, os participantes têm a oportunidade de atualizar informações sobre o assunto para aplicar às regras no dia a dia, com ênfase na mudança de atitudes no relacionamento com o público em geral. 

As denúncias devem ser formalizadas pelos canais de comunicação do IMMU informando o dia, horário e a linha de ônibus envolvida na ocorrência, por meio dos números do Serviço de Atendimento Comunitário (SAC): 118, WhatsApp: (92) 98802-3504 ou no e-mail [email protected]

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.