Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Uber

Motorista da Uber socorre criança, espera no hospital e não cobra corrida

Era o primeiro dia de Daniel, que também trabalha em um supermercado, como motorista de Uber.

07/11/2019 18h58
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: Manaus Alerta
309
Divulgação
Divulgação

“Foi automático, nem parei para refletir. Só pensava nos meus três filhos e que eu deveria ajudá-la”. Um motorista do aplicativo Uber parou seu trabalho para socorrer uma mãe com uma filha doente, em São Gonçalo (RJ), nessa terça-feira (5). Ao jornal, Daniel de Oliveira Torres contou sobre o caso e que virou amigo de Bruna Silva Santos e da família dela.

Era o primeiro dia de Daniel, que também trabalha em um supermercado, como motorista de Uber. “Recebi o chamado da Bruna e por algum problema o aplicativo já iniciou, sem ela estar dentro do carro, por volta das 23h. Aí ela me ligou e pediu para eu cancelar, porque estava com a filha ardendo em febre, com quase 40ºC, e precisava chegar logo na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Eu pedi para ela me falar certinho onde estava que eu iria levá-la”.

Como já era tarde, Daniel conta que chegou bem rápido até a casa de Bruna, que estava com a pequena Letícia, de 3 anos, no colo. “Em 5 minutos já estava na porta [da casa dela]. Ela entrou com a filha e a mãe. Como a menina já estava passando muito mal, cortei todos os carros, semáforos, buzinei muito, tudo para chegar rápido até a UPA”, explica.

Durante o trajeto, a criança começou a vomitar no carro. “Falei com a Bruna que não precisava se preocupar. Chegamos na UPA com uns 8 minutos. Aí eu desliguei o aplicativo, estacionei o carro e fui entrar com elas. Expliquei para a Bruna que esperaria as três saírem da UPA e levaria elas para casa depois”, explica.

Gratidão

Ao BHAZ, a autônoma Bruna conta que, quando desceu do carro, insistiu em pagar R$ 60 para o motorista pela corrida e transtornos. Ela ainda pediu o contato do motorista para ressarcir o que faltasse depois. “A corrida tinha dado R$ 5,95, mas minha filha vomitou no carro e ele me contou que teria que trabalhar cedo no outro dia de manhã. Eu peguei o dinheiro, mas ele não aceitou. Disse para eu me preocupar só com a minha filha”, explica.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.