Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Desaparecido

Jovem que estava desaparecido é encontrado morto no Tarumã, em Manaus

Familiares e amigos se reuniram na manhã de hoje para prestar as últimas homenagens ao rapaz. O velório foi realizado na funerária Almir Neves, situada na avenida Joaquim Nabuco, Centro da capital amazonense.

04/10/2019 14h07Atualizado há 2 semanas
Por: Fernanda Souza
Fonte: Manaus Alerta
2.801
Reprodução
Reprodução

O corpo de João Marco Santiago Santos, de 22 anos, que estava desaparecido desde o dia 13 de setembro, foi encontrado às margens de um igarapé no Tarumã-Açu, Zona Oeste de Manaus, nessa quinta-feira (3). A informação foi confirmada à equipe de reportagem do Manaus Alerta pelo pai do jovem, Marco Antônio Santos, na manhã desta sexta-feira (4).

“O corpo foi encontrado e eu mesmo fiz o reconhecimento no IML. Ainda não sabemos o que aconteceu, agora é aguardar pela conclusão do inquérito policial”, informou o pai da vítima, que não deu muitos detalhes sobre o caso.

Velório e enterro

Familiares e amigos se reuniram na manhã de hoje para prestar as últimas homenagens ao rapaz. O velório foi realizado na funerária Almir Neves, situada na avenida Joaquim Nabuco, Centro da capital amazonense.

O sepultamento do rapaz acontecerá às 15h de hoje, no Cemitério Tarumã.

Desaparecimento

João Marco estava desaparecido desde do dia 13 de setembro. Segundo o pai do jovem, ele foi visto pela última vez por volta das 13h daquele dia, após sair para o estágio no Hospital Universitário Getúlio Vargas, situado na rua Tomás de Vila Nova, no Centro de Manaus.

Na ocasião, o universitário saiu do hospital cerca de 10 minutos depois que havia chegado ao local, sem informar para onde iria, portando apenas uma mochila preta e um jaleco. Desde então, os familiares do rapaz não tiveram mais notícias dele.

A família de João Marco acredita que o sumiço dele tenha a ver com um possível “acerto de contas”, visto que o universitário já havia sido preso em flagrante, em janeiro deste ano, por transportar 251 tabletes de maconha.

A Justiça do Amazonas havia decretado que João Marco cumprisse pena de seis anos de reclusão. Porém, a punição foi substituída por prestação de serviços à comunidade e entidades públicas, da qual o jovem estava cumprindo em regime semiaberto.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.