Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
RETORNO

Sejusc anuncia retomada do projeto de formação de Promotoras Legais Populares no Amazonas

O projeto capacita mulheres que atuam na defesa dos direitos em municípios e comunidades.

18/09/2019 13h39Atualizado há 1 mês
Por: Eduarda Prado
Fonte: Sejusc
266
Divulgação
Divulgação
Com o objetivo de capacitar potenciais líderes e estimular o acesso à justiça e defesa dos direitos humanos, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), anunciou, durante encontro com mulheres representantes de movimentos sociais, municípios e comunidades, na tarde desta terça-feira (17/09), a retomada do projeto "Empoderar: Promotoras Legais Populares", realizado em parceria com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A previsão é que novas turmas sejam formadas em janeiro de 2020.
 
Por meio do projeto, mulheres com potencial de liderança da capital e interior têm a chance de serem capacitadas sobre a legislação, canais de denuncias e formas de atuar nos casos em um curso que terá duração de 72 horas. A última edição aconteceu em 2017.
 
De acordo com a secretária da Sejusc, Caroline Braz, após as inscrições, a participação no projeto é voluntária e feita a partir de uma seleção realizada pela Sejusc e UEA. Para a titular da pasta, o diálogo com as comunidades é fundamental para a garantia dos direitos.
 
“Esse alcance que as promotoras têm nas comunidades é importante, porque elas ajudam as vítimas e as direcionam para a rede de proteção. Precisamos manter esse contato. Realizaremos reuniões mensais na sede da Sejusc para discutir formas de nos aproximar desses grupos”, enfatizou a secretária.
 
Participante ativa em ações voltadas à mulheres no município do Careiro da Várzea, Jane Almeida, que esteve presente no encontro, comenta que os trabalhos têm alcançado resultados positivos, de mulheres que seguiram com denúncias e conseguiram autonomia e abandonar relacionamentos abusivos.
 
“Acompanhamos as vítimas no processo de denúncia, vamos à delegacia, ao hospital encaminhamos para abrigos, se preciso. Promovemos eventos para que as mulheres e os conselhos tutelares saibam como nosso trabalho funciona e possam nos procurar em caso de necessidade”, explicou.
 
O cronograma do projeto e as datas das inscrições devem ser anunciadas até novembro, no site da Sejusc.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.