CAMP GOV AM - PRESTAÇÃO DE CONTAS - OBRAS
Estupro

Criança estuprada no Amazonas diz que mulher do suspeito sabia de tudo

A vítima contou que a mulher do acusado a buscava em sua residência para pedir ajuda doméstica, mas era deixada sozinha com o homem no quarto do casal

11/07/2019 08h58Atualizado há 3 meses
Por: Fernanda Souza
Fonte: Em tempo
1.698
Foto: Daniel Landazuri
Foto: Daniel Landazuri

 "Ela ia me buscar em casa para ajudá-la nos afazeres domésticos, mas depois pedia para eu ficar no quarto com o marido dela". Esse é o depoimento de uma menina de 10 anos que foi estuprada, durante um ano, por um agricultor, vizinho de sua família. O caso ocorreu no ramal do Janauari, comunidade Lago do Sucupira, KM 11 da rodovia estadual AM-070, em Iranduba. 

A criança disse ainda que muitas vezes recebia dinheiro do homem e que da última vez ele prometeu lhe dar uma mochila. "Ás vezes ele me dava R$5, até R$ 10. Mas eu não queria fazer aquilo, agora eu quero que ele pague, pois sei que ele também fez isso com duas meninas da várzea", disse. 

A mãe da menina, uma agricultora de 32 anos, conversou com o Em Tempo na tarde desta quarta-feira (10) e contou que a filha frequentava a casa dos vizinhos, desde os 7 anos. Os exames de conjunção carnal e coito anal feitos na vítima, apontaram que a menina era violentada sexualmente há um ano.   

"No começo eu tinha confiança no casal, ele dizia que minha filha iria fazer companhia para a esposa enquanto ele iria para o roçado. Mas ultimamente eu passei a notar um comportamento diferente na minha filha, ela começou a ficar agressiva dentro de casa e tinha medo de voltar à casa dos vizinhos, mas ela não falava o que estava acontecendo", disse a mãe da criança. 

Denúncia 

A agricultora relatou que no dia 28 de maio deste ano, foi levar a filha para uma consulta em uma unidade básica de saúde na comunidade. Quando a criança foi atendida pela equipe médica foi constatado que ela foi vítima de um estupro. 

"Ela estava reclamando de uma assadura, imaginávamos que se tratava de alguma infecção, mas quando foi examinada pela enfermeira foi descoberto que ela havia sido estuprada. A médica conversou comigo e me orientou a fazer a denúncia, no mesmo dia procurei a polícia", relatou a mulher. 

A mãe e a criança foram encaminhadas para a Maternidade Moura Tapajós, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, para fazer uma avalização da saúde da menina.

"A médica da maternidade confirmou que minha filha foi estuprada dois dias antes dos exames. Na conversa com a psicóloga, ela ainda contou que na última vez o vizinho tentou penetrar na vagina dela, como não conseguiu ele praticou sexo anal. Uma situação revoltante", desabafou a agricultora. 

O caso foi registrado na Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca). A família luta por Justiça e quer que o caso continue sendo investigado na unidade policial da capital. O medo da mãe é que o caso seja encaminhado para a delegacia de Iranduba e o suspeito fique impune. 

"A delegada me informou hoje (quarta-feira) que a defensoria pública quer que o caso seja conduzido em Iranduba, mas acredito que lá vai ser esquecido. Há três semanas o suspeito e a esposa dele desapareceram da comunidade. Quero Justiça", ressaltou a mãe da vítima. 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.