Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Condenação

Réus da Maus Caminhos são condenados por desviar verbas de UPA e Maternidade no Amazonas

As penas somadas aplicadas aos réus, somam de 29 anos de prisão entre regime fechado.

21/06/2019 15h11Atualizado há 4 semanas
Por: Jéssyca Lorena
Fonte: Portal do Holanda
140
Reprodução
Reprodução

Cinco réus da operação Maus Caminhos foram condenados pela juíza federal Ana Paula Serizawa, da 4ª Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas pelos desvios de R$ 141,7 mil de recursos públicos superfaturados da empresa Medimagem, entre julho de 2014 a fevereiro de 2015. As penas somadas aplicadas a Mouhamed Mustafá, Priscila Marcolino Coutinho, Paulo Roberto Galácio, Jennifer Nayara e a Gilberto Aguiar somam 29 anos de prisão entre regime fechado, semiaberto e aberto. 

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), os cinco foram condenados pelo superfaturamento dos serviços de lavandeira prestados pela Medimagem na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Campos Salles, e também na Maternidade Enfermeira Celina Villacrez Ruiz, localizada em Tabatinga. 

A operação foi coordenada pelo empresário Mouhamed Moustafá, dono do Instituto Novos Caminhos (INC), responsável pela contratação superfaturada dos serviços da Medimagem. Segundo o MPF, os valores superfaturados eram repassados para os membros da organização criminosa acusada de desvias recursos da saúde do Amazonas. 

Condenações

Mouhamed recebeu a maior pena, sendo condenado a 9 anos e 4 meses de prisão em regime fechado. A juíza ainda estabeleceu a ela o pagamento de multa no valor de R$ 1,1 milhão. 

Priscila Coutinho, que é apontado como a chefe do setor financeiro da organização criminosa, recebeu a pena de 6 anos e 8 meses de prisão em regime fechado. Ela também terá de pagar uma multa de R$ 144,8 mil. 

Paulo Roberto Galácio, ex-diretor do INC, foi condenado a 6 anos e 3 meses de prisão em regime fechado e multado em R$ 135,3 mil. A enfermeira e delatora do esquema da Maus Caminhos, Jennifer Nayara, recebeu a condenação e 1 ano e 8 meses de prisão em regime aberto, tendo de pagar multa de R$ 18,1 mil. 

O empresário Gilberto Aguiar, dono da empresa Medimagem, foi condenado a 5 anos e 4 meses de prisão em regime semiaberto, com multa estabelecida de R$ 347,5 mil. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Manaus - AM
Atualizado às 01h41
24°
Alguma nebulosidade Máxima: 32° - Mínima: 23°
24°

Sensação

2 km/h

Vento

89%

Umidade

Fonte: Climatempo
Pneu Forte - 300x250
Municípios
Apa Móveis - 300x250
Últimas notícias
Mais lidas