Apa Móveis/Pneu Forte - 728x90
Assédio

Repórter sul-coreano é beijado à força na Copa

Duas torcedoras agarraram apresentador; episódio levantou debates nas redes sociais.

Copa 2018

Copa 2018Página especial com notícias e informações sobre o edição de 2018 da Copa do Mundo.

05/07/2018 14h52Atualizado há 1 ano
Por:
Fonte: O Globo
839
Internet
Internet

Um apresentador de TV da Coreia do Sul foi beijado por duas torcedoras na Copa do Mundo da Rússia, provocando novamente debate nas redes sociais sobre assédio sexual. Embora o repórter tentasse rir, ele mostrou-se claramente envergonhado pela atitude das jovens. Esse foi mais um dos casos de assédio na Copa do Mundo, onde outras repórteres foram beijadas à força e diversas mulheres foram gravadas repetindo palavrões e frases de cunho sexual que desconheciam em outras línguas.

A vítima foi Jeon Gwang-ryeol, que trabalha na MBN, um canal de televisão por assinatura sul-coreano. Enquanto na Coreia do Sul, o assédio não foi condenado, na China, levantou vários debates. Chineses questionaram a atitude das mulheres na rede social Weibo e se perguntaram por que o beijo à força no repórter não causou a mesma indignação dos outros casos. Outros ressaltaram que a falta de revolta é mais um sinal da desigualdade, já que o assédio aos homens é minimizado por causa do machismo.

Gwang-ryeol é o primeiro repórter homem a ser assediado na Copa após diversos casos envolvendo mulheres. A repórter Julia Guimarães, da Rede Globo, foi uma das vítima, quando se preparava para entrar ao vivo antes da partida entre Japão e Senegal, em Ecaterimburgo, na Rússia. Na ocasião, um torcedor tentou beijá-la a força. Uma repórter alemã e outra argentina também foram agarradas por homens enquanto trabalhavam no Mundial.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.