Sexta, 13 de dezembro de 2018
(92) 99183-2565
Brasil

09/04/2018 ás 00h13

13.570

Portal Holofote

Manaus / AM

Em vídeo, Lula ataca Moro e diz estar com a consciência tranquila; assista
O ex-presidente gravou as imagens antes de tomar a decisão de se entregar à Polícia Federal, no sábado (7/4) em conversa com o Frei Betto
Em vídeo, Lula ataca Moro e diz estar com a consciência tranquila; assista
Michael Melo/Metrópoles

Em vídeo postado neste domingo (8/4) em suas redes sociais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que a ainda busca recursos para reverter sua prisão. Ele gravou as imagens antes de tomar a decisão de se entregar à Polícia Federal, na noite de sábado (7/4), em conversa com o Frei Betto.


Conforme o petista, seus advogados entrarão nesta segunda-feira (9) com o embargo dos embargos — recurso em que se busca esclarecer uma omissão ou contradição de uma decisão. O ex-chefe do Executivo nacional acredita que já na semana que vem possa “estar junto com o povo”.


“Estou muito bem, companheiros e companheiras. Estou leve, com a consciência tranquila de que pode demorar um pouco, mas vamos vencer essa batalha. Quem sabe, se Deus quiser, semana que vem estaremos juntos”, declarou Lula.


Durante a conversa com o religioso, Lula voltou a atacar o procurador do Ministério Público Federal (MPF) e coordenador da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol. “O que me faz ficar bem e tranquilo é a minha consciência. Duvido que o Dallagnol e os caras que fizeram essa mentira deitem toda noite com a consciência tranquila”.


Também sobrou para o juiz Sérgio Moro, responsável por fixar sua pena em 12 anos e 1 mês de detenção por corrupção e lavagem de dinheiro. “Tem uma mente doentia, uma obsessão em que a mentira não tem limite”, disparou.


Lula foi detido após um tumultuado processo na porta do Sindicato dos Metalúrgicos, na Grande ABC. Ao tentar deixar a sede da entidade, o maior líder da esquerda do país teve o carro cercado e foi impedido de sair do prédio. Com a resistência dos militantes, ele foi a pé em direção a uma viatura descaracterizada da PF.


Ao desembarcar em Curitiba para iniciar o cumprimento de sua pena, Lula provocou outro alvoroço. Agentes da Polícia Federal usaram bomba de gás para dispersar apoiadores do petista que tentavam se aproximar da Superintendência da PF.


Reforço


Por essa razão, o local amanheceu, neste domingo (9/4), tomado por dezenas de homens da Polícia Militar paranaense. Com o temor de uma possível invasão por parte da militância petista, o comando da PM do estado destacou 19 viaturas, sendo quatro da tropa de choque. Num período de 100 metros nos arredores do edifício, só podem circular pessoas autorizadas.


As medidas de segurança foram tomadas porque mais de 10 ônibus com militantes do Partido dos Trabalhadores chegaram à região nesta manhã. Segundo os próprios manifestantes, outros 40 veículos estariam a caminho. O grupo acampou a cerca de 200 metros de onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está detido. A Prefeitura da cidade negocia para transferi-los para outro lugar.


Acampamento e almoço


No fim da manhã deste domingo (8), o grupo formado por integrantes do Movimento Sem Terra (MST), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de organizações sociais preparava um almoço coletivo. No cardápio havia macarrão, arroz, feijão, batata-doce, abóbora, salada e carne.


Os militantes prometem fazer “vigília permanente” nos arredores da Superintendência da PF em Curitiba até o ex-presidente ser solto. Para manter a segurança no local, a Polícia Militar do estado não está permitindo que pessoas desautorizadas fiquem a menos de 100 metros do edifício.


Lula foi condenado em segunda instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex no Guarujá (SP). De acordo com a acusação, o petista recebeu propina da construtora OAS ao aceitar a reforma do imóvel. Em troca, o ex-presidente teria beneficiado a empreiteira em contratos com a Petrobras.


FONTE: Metrópoles

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados