domingo, 21 de outubro de 2018
(92) 99183-2565
Política

07/03/2018 ás 09h09 - atualizada em 08/03/2018 ás 17h03

11.949

Portal Holofote

Manaus / AM

Lula se mantém à frente na corrida presidencial; sem petista, Bolsonaro lidera
De acordo com pesquisa CNT/MDA, o petista lidera intenções de votos; nome de Bolsonaro surge em segundo
Lula se mantém à frente na corrida presidencial; sem petista, Bolsonaro lidera
Ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva e Bolsonaro lideram (Agência Brasil)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém sua liderança em todos os cenários eleitorais em que seu nome aparece como candidato à Presidência da República, apontou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, tanto no primeiro quanto no segundo turno. Quando o nome de Lula não aparece, o deputado Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto.


Na sondagem de intenção de voto espontânea para a Presidência, Lula soma 18,6%. Bolsonaro ocupa a segunda posição, com 12,3%, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 1,7%, e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), com 1,4%.


O senador Álvaro Dias (PODE-PR), alcança 1,2% na pesquisa estimulada, o mesmo patamar obtido por Marina Silva (Rede), seguidos do atual presidente Michel Temer, com 0,4% das intenções de voto.


Brancos e nulos neste cenário estimulado somam 20,4%, enquanto os indecisos chegam a 39,7%. A margem de erro da sondagem é de 2,2 pontos percentuais.


Pesquisa passada, publicada em setembro, apontava Lula com 20,2% dos votos nas respostas espontâneas, seguido por Bolsonaro, com 10,9%.


Para o diretor executivo do Instituto MDA, Marcelo Souza, não é possível identificar o motivo da oscilação de Lula e Bolsonaro na pesquisa de março, mas os embates judiciais enfrentados pelo petista podem ter influenciado.


“São oscilações pequenas, então não dá para a gente saber ao certo de onde vem cada um desses movimentos. Obviamente, o ex-presidente Lula, à medida em que o tempo passa e essas questões jurídicas começam a cercar ele, pode ser que ele tenha uma tendência a ter uma redução, à medida que as pessoas passem a acreditar que ele não será candidato”, avaliou Souza.


“Mas não dá para a gente dizer que aquilo causou isso, são apenas oscilações dentro da margem.”


Apesar da liderança na pesquisa, Lula poderá ser impedido de disputar a eleição de outubro. O ex-presidente teve uma condenação em primeira instância confirmada pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A Lei da Ficha Limpa determina a inelegibilidade de condenados na Justiça por órgãos colegiados, caso da 8ª Turma do TRF-4.


Os advogados do ex-presidente, no entanto, ainda podem recorrer a tribunais superiores para garantir a candidatura.


A pesquisa também abordou as acusações contra Lula envolvendo o apartamento tríplex no Guarujá e apontou que 52,1 por cento dos entrevistados considera que o ex-presidente deveria ter sido condenado, contra 37,6 por cento, que consideram que o petista deveria ter sido inocentado.


Também demonstrou que 54,2 por cento dos entrevistados não votaria em algum candidato indicado por Lula. O percentual dos que votariam em qualquer candidato indicado por ele nas próximas eleições, caso seja impedido de concorrer em outubro, é de 16,4 por cento. Outros 26,4 por cento afirmam que votariam em algum candidato indicado pelo ex-presidente, a depender do nome.


Outros cenários


A pesquisa também aponta uma liderança de Lula na pergunta estimulada, em que nomes pré-determinados são oferecidos aos entrevistados, nos cenários em que aparece como candidato.


O petista alcança os 33,4% das intenções de votos, seguido de Bolsonaro com 16,8$, de Marina Silva, com 7,8%, e de Alckmin, com 6,4%. Neste cenário, o presidente Michel Temer consegue 0,9%, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que deve lançar sua pré-candidatura ao Planalto na quinta-feira, aparece com 0,6%.


Já em um dos cenários quando o candidato do PT é Fernando Haddad, Bolsonaro lidera a disputa com 20,0% das intenções. Em segundo lugar vem Marina, com 12,8%, depois Alckmin, com 8,6%, e Ciro com 8,1%. Álvaro Dias aparece com 4,0%, seguido de Haddad com 2,3%, enquanto Temer chega a 1,3%, ao lado de Manuela D`Ávila (PCdoB), e atrás do ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTC-AL), que tem 2,1%. Maia soma 0,8% das intenções.


No terceiro cenário, sem Lula e sem Temer, Bolsonaro lidera novamente, com 20,2%, seguido por Marina (13,4%) e Alckmin (8,7%). Maia tem 1%.


Quando Alckmin não aparece como candidato, nem Lula, Bolsonaro lidera com 20,9%, seguido de Marina (13,9%), Ciro (9,0%) e Álvaro Dias (4,7%). Maia tem 1,4% e Temer, 1,3%.


A pesquisa traz ainda 14 cenários de segundo turno e mais uma vez Lula lidera quando aparece como candidato. Nos cenários sem o petista e que têm Bolsonaro, o deputado vence ou está em empate técnico mas com vantagem numérica.


Temer é o grande campeão da rejeição. Quando perguntados sobre a possibilidade de votar no presidente, 88% responderam que não votariam nele de jeito nenhum.


Lula somou nessas respostas 46,7%, seguido por Ciro(47,8%), Bolsonaro (50,4%), Alckmin (50,7%), Marina (53,9%) e Maia (55,8%).


A sondagem divulgada nesta terça-feira foi realizada entre 28 de fevereiro e 3 de março, em 137 municípios, com 2.002 entrevistados. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-06600/2018.

FONTE: Reuters

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados