domingo, 19 de agosto de 2018
(92) 99183-2565
Cidades

08/02/2018 ás 12h00 - atualizada em 09/02/2018 ás 02h54

7.036

Portal Holofote

Manaus / AM

Demissões de 227 funcionários da Amazonas Energia serão feitas até abril
Mês com maior número de demissões será março, quando 150 trabalhadores serão dispensados. Sindicato vai procurar a Justiça do Trabalho
Demissões de 227 funcionários da Amazonas Energia serão feitas até abril
Sindicato tentará reverter demissões (Foto: Divulgação)

 


A demissão em massa de funcionários não concursados da Eletrobras Amazonas Energia, anunciada ontem pela empresa em comunicado extraodinário, deve atingir 227 servidores. A informação é do presidente do Sindicato dos Urbanitários do Amazonas (STIU-AM), Edney Martins, que tratou a medida como "desumana e inconsequente".


Para ele, a medida é resultado do processo de privatização da estatal - que ainda não foi feito mas já foi anunciado como planejada pelo Governo Federal.  Segundo o sindicalista, os funcionários demitidos não receberão rescisão.


“A ação é desumana e inconsequente. Essas pessoas trabalham há mais de 20 anos nesta empresa, já adquiriam várias doenças pelo o tempo trabalhado nesta instituição. Eles estão fazendo esta demissão de maneira irresponsável. A ideia deles é que, para vender, tem que enxugar o quadro de funcionários.  E são descartados sem rescisão contratual. Vão embora mal com o salário do mês”, declara. 


Edney revela que a demissão de vários funcionários experientes da Eletrobras vai impactar negativamente também para o consumidor. Para ele, poderá haver piora no sistema de energia e até encarecimento no valor da conta. 


Neste mês, serão demitidos 44 funcionários, outros 150 serão mandados embora em março, e os outros 33 serão dispensados em abril, totalizando 227 trabalhadores demitidos. O Sindicato vai buscar a Justiça do Trabalho, com a intenção de provar que a demissão dos funcionários é irregular. “Estamos pedindo ajuda aos deputados, vereadores, governadores. Queremos pelo menos a rescisão. E que pelo menos façam uma escala de demissão para que eles alcancem a aposentadoria”, diz Edney.


Privatização é uma das prioridades do governo


O desligamento dos funcionários não concursados da Eletrobras Distribuição Amazonas acontece no momento em que o governo federal concentra esforços na privatização da estatal. Atualmente, o governo vem removendo entraves legais que impedem a desestatização da empresa. 


Na abertura dos trabalhos legislativos no Congresso Nacional, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, destacou a discussão da desestatização da Eletrobras e suas subsidiárias, como a Amazonas Distribuição, entre os temas prioritários.  


Na mensagem ao Congresso, o presidente Michel Temer também enfatizou o projeto de desestatização. A perspectiva é que a pauta seja discutida neste ano pelo Congresso Nacional com a desestatização da Eletrobras e empresas subsidiárias. 


“Temos, hoje, modelo de concessões e privatizações com regras claras e estáveis. Em 18 meses, foram 70 projetos, que correspondem a R$ 142 bilhões em investimentos – e, em 2018, serão 75 outros projetos. São mais e melhores aeroportos, portos, rodovias, ferrovias, linhas de transmissão. É um Brasil de mais produtividade, de mais empregos”, diz a mensagem do presidente.


por Rebeca Mota

FONTE: Portal A Crítica

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados