domingo, 25 de fevereiro de 2018
(92) 98115-8357
Polícia

22/12/2017 ás 13h00

27.563

Portal Holofote

Manaus / AM

Presa por ordenar morte de adolescente em Manaus queria ser ‘a única’ em boca de fumo
Segundo a polícia, Líbian, 26, conhecida como “Mana”, não gostava que outras mulheres “rondassem” o ponto de drogas na Cidade de Deus
Presa por ordenar morte de adolescente em Manaus queria ser ‘a única’ em boca de fumo
Foto: Divulgação/Polícia Civil

 


Líbian Fabrinne Baraúna Veras, 26, também conhecida como "Mana", foi presa na tarde dessa quinta-feira (21), apontada como mandante e uma das executoras da morte da adolescente Mirelle dos Santos Carvalho, 17. O crime ocorreu no dia 31 de julho deste ano e a vítima foi encontrada com o corpo carbonizado em um barranco na comunidade Fazendinha, bairro Cidade de Deus, zona Norte de Manaus.


Além dela, outras duas pessoas identificadas como Adriano Penedo da Silva, 23, e Fernando Bezerra de Souza Bentes, 19, também estão envolvidos no crime. De acordo com o delegado da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Torquato Mozer, o crime foi motivado por ciúmes, uma vez que Libian tomava conta de uma boca de fumo e não gostava que mulheres “rondassem” o local. “Ela queria ser a única mulher na boca e ao ver uma colega da Mirelle postar uma foto com uma arma de fogo que pertencia aos traficantes da área resolveu se vingar", disse.


A infratora então chamou Fernando e Adriano para ajudá-la a matar a vítima. No dia do crime a vítima foi torturada e teve os cabelos escalpelados, além de ter sofrido com pauladas até a morte. Após ser morta a adolescente ainda teve o corpo enterrado pelos infratores. "Primeiramente eles enterraram o corpo, mas com medo que tudo fosse descoberto resolveram desenterrar e jogá-la no barranco. Em seguida atearam fogo para sumir com pistas", destacou Mozer.


A infratora foi presa no bairro Jorge Teixeira, na zona Leste de Manaus e irá responder por homicídio . Já a dupla que ajudou no crime tinha se apresentado no 13 Distrito Integrado de Polícia (DIP ) três dias após o crime e como não estavam mais em flagrante foram ouvidos e liberados. Atualmente ambos seguem foragidos.

FONTE: Portal A Crítica

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados