Sábado, 16 de dezembro de 201716/12/2017
(92) 98115-8357
Parcialmente nublado
23º
24º
29º
Manaus - AM
Erro ao processar!
POLÍCIA
Mulher reconhece corpo do marido, suspeito de matar jovem que perseguiu assaltantes
Dário Lima Lira era ex-funcionário da família de Thales Josafá, morto ontem em um latrocínio, e foi apontado pelo pai do adolescente como um dos envolvidos no crime
Portal Holofote Manaus - AM
Postada em 09/08/2017 ás 17h52 - atualizada em 10/08/2017 ás 11h02
Mulher reconhece corpo do marido, suspeito de matar jovem que perseguiu assaltantes

A mulher de Dário Lima esteve no local do crime (Foto: Raquel Miranda)

 


A mulher de Dário Lima Lira, Carla Santiago, 31, reconheceu o corpo do marido, encontrado no canteiro de obras da Avenida das Flores, no bairro Cidade Nova I, no início da manhã desta quarta-feira (9). O homem era ex-funcionário da família de Thales Josafá, morto ontem em um latrocínio, e foi apontado pelo pai do adolescente como um dos envolvidos no crime.


Segundo Carla, vários homens, aproximadamente de 30 motoqueiros, cercaram a casa dela e da sogra de Dário, no bairro do Manoa, comunidade Vale do Sinai, na zona norte de Manaus. Eles invadiram a casa da mãe dela e disseram para a família que só queriam o Dário, que foi levado por volta das 23h30 de ontem.


Segundo Carla, Dário não teve envolvimento com o latrocínio e ‘foi morto por engano’, a mando da família de Thales. Grávida de cinco meses, ela contou que Dário tinha duas passagens pela polícia,uma por tráfico e outra por roubo, mas que estava tentando se ‘recuperar’.


Carla ainda relatou que Dário estava desempregado após ser demitido da loja de assistência técnica, há dois meses.


“Ele admirava muito a família e o Thales, brigava com todo mundo por eles”, disse a mulher. “Ele soube da morte já pelo Facebook, na hora ele disse: tá repreendido”.


No período da tarde, segundo a mulher, foi que a família teve conhecimento de que Dário estava sendo apontado como um dos participantes.


“Uma amiga minha mandou, pelo Whatsapp, a foto falando se era o meu marido. Logo depois começaram a rondar a minha casa”, disse.


Segundo ela, Dário planejava se apresentar à polícia e já tinha contatado um advogado, mas, mesmo com essa afirmação, Carla continuou sustentando a inocência do marido com relação ao latrocínio.


“Ele estava comigo, a gente estava vendo umas coisas da casa, que eu ia demolir, para construir outra”, garantiu.


O perito da Polícia Civil, Marcelo Rodrigues, informou que os crimes, ocorrido no bairro Nova Cidade e na Baixada Fluminense, apresentaram as mesmas características e com intervalo muito curto entre uma morte a outra, conforme apontaram as análises periciais do estado do corpo dos dois homens.


“Ele tinha sinais de pequenas perfurações na testa, característica de tortura, como quem diz: ‘fala, fala!’ Apontando a faca contra a cabeça, sabe?”, disse o perito.


Segundo os policiais que acompanharam a ocorrência, a expectativa é que outros dois corpos ainda sejam encontrados nesta quarta-feira. Ao todo, segundo as filmagens apresentadas ontem pela família de Thales, quatro pessoas estavam envolvidas no latrocínio.


A reportagem tentou contato com Sidney Sá da Silva, pai de Thales, mas não conseguiu retorno pelo telefone.


O corpo foi levado pelo Instituto Médico Legal (IML).

FONTE: D24AM
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
imprimir
18.022
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados