Quarta, 18 de outubro de 201718/10/2017
(92) 98115-8357
Claro
24º
25º
28º
Manaus - AM
dólar R$ 3,16
euro R$ 3,72
TCE NOVO
POLÍCIA
Mãe de bebê jogado no rio é presa após furtar roupas em Manacapuru, diz PM
Esta é a terceira vez que Cleudes Maria é presa.
Portal Holofote Manaus - AM
Postada em 09/08/2017 ás 17h45 - atualizada em 10/08/2017 ás 10h27
Mãe de bebê jogado no rio é presa após furtar roupas em Manacapuru, diz PM

Esta é a terceira vez que Cleudes Maria é presa. Na primeira, ela foi presa por suspeita de jogar o filho Pietro no rio. Na segunda, ela foi presa com drogas. Nesta quarta, ela e a amiga posaram e sorriam enquanto eram fotografadas na delegacia (Foto: Divulgação/PM)

 


Cleudes Maria Batista de Moraes, 23, que ficou conhecida após a morte do filho dela, Pablo Pietro, que caiu no Rio Negro em agosto de 2015, quando tinha 4 meses, foi presa por furto, na última terça-feira (8), em Manacapuru (a 98 quilômetros de Manaus). De acordo com informações do 9° Batalhão da Polícia Militar (BPM), a prisão ocorreu após ela e outra mulher terem roubado uma loja de confecções.


Os policiais chegaram ao local após denúncias. Ao chegar na loja, localizada na Avenida Eduardo Ribeiro, no município, elas já estavam detidas, com várias peças de roupas. Cleudes e Ingrid Ferreira Duarte, 20, foram presas por furto e levadas à 1ª Delegacia Regional de Manacapuru, onde posaram e sorriam enquanto eram fotografadas.


Terceira prisão


Esta é a terceira vez que Cleudes é presa. Na primeira, ela foi presa em 3 de setembro de 2015, suspeita de jogar o próprio filho, Pablo Pietro, de apenas três meses, no Rio Negro, durante uma briga com o o ex-marido, o canoeiro Josias da Silva Alves, que está preso.  A criança foi jogada no rio no dia 14 de agosto de 2015.


Na segunda vez, em 11 de maio de 2016, ela foi presa com drogas, junto com outras cinco pessoas, em uma casa no bairro União. De acordo com o major André Gioia, à época, os policiais do 9º BPM, já tinham a informação que o grupo usava a casa para comercializar entorpecente. Ela foi liberada logo em seguida.


Bebê jogado no rio


O bebê Pablo Pietro desapareceu no dia 14 de agosto de 2015. À época, a mãe da criança, Cleudes Maria Batista, afirmou, à polícia, que o filho de 4 meses sumiu depois de o pai, Josias de Oliveira, tê-lo jogado no Rio Negro, durante uma briga por pensão alimentícia, enquanto estavam em uma canoa.


Em depoimento à polícia, em agosto do ano passado, Josias afirmou ter sido o responsável pelo desaparecimento do menino, mas, segundo a defesa, o canoeiro admitiu a culpa por não suportar as pressões que estava sofrendo. Ele está respondendo a um processo criminal pela morte da criança. A mulher chegou a ser presa pelo homicídio do filho, mas foi solta logo em seguida.

FONTE: D24AM
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
imprimir
21.639
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados