Quinta, 21 de fevereiro de 2019
(92) 99183-2565
Polícia

07/02/2019 ás 14h51

608

Jéssyca Lorena

Manaus / AM

Matador da FDN executou 130 pessoas em Manaus
O criminoso participou da rebelião no Compaj, no dia 1º de Janeiro de 2017
Matador da FDN executou 130 pessoas em Manaus
Josemar Antunes

Investigado por envolvimento em pelo menos 130 assassinatos, Iguison Nascimento Lima, de 35 anos, foi preso na manhã desta quinta-feira (7), durante uma ação conjunta entre policiais militares do Comando de Policiamento de Área Leste (CPA-Leste) e da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Na mesma ação, outro homem foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva por roubo.


De acordo com o delegado Torquato Mozer, titular do 30° Distrito Integrado de Polícia (DIP), Iguison é foragido do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), e acusado de 130 assassinatos em unidades prisionais, sendo 56 no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), durante a rebelião no dia 1° de janeiro de 2017.


Além dos assassinatos, Iguison também responde a processos de tortura, vilipêndio de cadáver, motim, arrebatamento e associação ao crime organizado. Ele, segundo a polícia, é membro da facção criminosa Família do Norte (FDN). 


"Foi um trabalho investigativo que resultou na prisão de Iguison por envolvimento em 130 homicídios e de Daniel pelo crime de roubo. A fuga e o massacre no Compaj, onde está comprovado a participação de Iguison, ganharam repercussão nacional. Ele negou os crimes, mas confessou ser membro de uma facção criminosa. Após a rebelião, Iguison fugiu da unidade prisional", explicou o delegado Torquato Mozer. 


Iguison estava cumprido pena por tráfico de drogas no CDPM. Ele foi preso por volta das 6h, em uma casa, na rua 1, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste. 


Na mesma ação, Daniel de Souza Barros, 39, também foi preso pelas equipes policiais em cumprimento de mandado de prisão preventiva por roubo. 


O major Daniel Segadilha, comandante do CPA-LESTE e da 30ª Cicom, destacou a importância da parceria entre a Polícia Militar e Civil. "A prisão foi minuciosamente tranquila com cerco planejado no entorno da casa, sem qualquer chance de fuga dos criminosos", disse. 


Família do criminoso


Durante a apresentação, familiares de Iguison estavam indignados e chegaram a afirmar que a prisão era injusta, pois o mesmo tinha trabalho e residência fixa. Na ocasião, Iguison negou as acusações pelos crimes praticados. 


Iguison foi indiciado por homicídio. Já Daniel foi indiciado por roubo. Os dois homens ficaram presos no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), situado no quilômetro 8 da BR-174, onde ficarão à disposição da Justiça.

FONTE: Em Tempo

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados