Segunda, 18 de novembro de 2018
(92) 99183-2565
Cidades

14/09/2018 ás 14h06

166

Jéssyca Lorena

Manaus / AM

Veículos pesados são flagrados circulando na Ponte do Educandos, em Manaus
A via está parcialmente interditada há quatro meses devido a erosões e rachaduras na estrutura. Motoristas insistem em passar pelo local
Veículos pesados são flagrados circulando na Ponte do Educandos, em Manaus
Winnetou Almeida

Com receio que aconteça uma tragédia, moradores de casas situadas embaixo da Ponte do Educandos, denunciam a falta de fiscalização do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) no local. A passagem denominada Antônio Plácido de Souza, que liga o bairro de Educandos à região central da cidade, está parcialmente interditada há quatro meses devido a erosões e rachaduras na estrutura.


Entretanto, apesar da sinalização composta por cones e placas informativa sobre a proibição da passagem de veículos pesados, a equipe de reportagem do jornal  A CRÍTICA flagrou motoristas ignorando os avisos e nenhuma fiscalização no local. “No final da tarde e à noite, é um treme-treme tão grande nessa ponte, que sentimos medo de que ela (ponte) caia em cima de nossas cabeças. Eles não respeitam a sinalização e não há nenhum agente para controlar o trânsito e limitar o acesso”, contou uma comerciante, que preferiu não ser identificada.


Em nota, o Manaustrans afirmou que realiza o monitoramento da área e que a fiscalização no local deve ser reforçada.


A ponte teve o trânsito restrito por decisão do juiz Paulo Fernando de Britto Feitoza, da 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal e de Crimes Contra a Ordem Tributária, em maio deste ano, após ação do Ministério Público do Estado (MP-AM).


O magistrado levou em consideração as péssimas condições do local, que apresentava risco de desabamento, e iria proibir, inclusive, a passagem de pedestres no trecho. Entretanto, após decisão do desembargador plantonista do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) José Hamilton Saraiva dos Santos, embasado em documentação apresentada pela Procuradoria Geral do Município (PGM) a favor da liberação da via, a medida foi revogada.


A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) destacou que recebeu o laudo elaborado por empresa especialista registrada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM), no qual foram identificados problemas existentes na estrutura e também elencadas as necessidades construtivas implementadas na ponte.


Ainda conforme a Seminf, o laudo deve ser liberado para que o projeto básico de execução das obras seja formulado e mais tarde também embasar a contratação de empresa para as obras de recuperação da passagem.


Garantia de 90 dias já foi expirada


No fim de maio, quando consegui, via recurso da Procuradoria Geral do Município (PGM), evitar a interdição total da ponte, a Prefeitura de Manaus informou à Justiça que um laudo emitido pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) descartava qualquer risco de desabamento da ponte pelo prazo de 90 dias, período em que a prefeitura deveria apresentar o projeto completo de avaliação e manutenção da ponte.


O prazo assegurado pelo laudo que a ponte não vai desabar venceu há duas semanas. Outro laudo de avaliação mais completa da situação da ponte e com indicações do que deve ser feito foi concluído, segundo a Seminf. No entanto, a pasta não informou quando as obras necessárias devem iniciar. Isso porque o projeto básico de execução da reforma ainda precisa ser elaborado, assim como a burocracia para a contratação de empresa para a obra.

FONTE: A Crítica

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados