Segunda, 20 de agosto de 2018
(92) 99183-2565
Esportes

10/08/2018 ás 18h15

58

Jéssyca Lorena

Manaus / AM

Após frustrações de Cavalieri e Doni no gol, Liverpool tem nova era brasuca: Alisson
Depressão e problema grave de saúde marcaram passagem dos reservas de Pepe Reina
Após frustrações de Cavalieri e Doni no gol, Liverpool tem nova era brasuca: Alisson
Divulgação

Quando entrar em campo neste domingo, contra o West Ham, na estreia do Liverpool na Premier League 2018/19, Alisson terá a oportunidade de começar a escrever, enfim, uma história de sucesso de um goleiro brasileiro no clube. Cheio de moral pela boa passagem pela Roma e pela Seleção, o gaúcho tentará reverter a expectativa em realidade para distanciar-se das frustrações vividas por dois compatriotas. Diego Cavalieri e Doni passaram por Anfield na última década, mas deixaram o clube de forma discreta, sem ter muito o que celebrar.


Cavalieri chegou em 2008, aos 25 anos de idade, após destacar-se pelo Palmeiras. Achou que o clube venderia Pepe Reina, titular até então, e que teria oportunidades. Apenas frustrou-se. Atuou em somente 10 partidas pelo clube, nenhuma delas na Premier League. Amargou dois anos na reserva e entrou em depressão. Em entrevista ao repórter Eric Faria, quando recuperou a confiança em ótima temporada que culminaria no título Brasileiro do Fluminense em 2010, o goleiro admitiu que chorava, se questionando se havia desaprendido a jogar futebol.


Doni tinha 31 anos quando transferiu-se da Roma para o Liverpool. Também ficou no banco na maior parte do ano e meio que passou na cidade, com Pepe Reina ainda como camisa número 1 do clube. Até teve a oportunidade de jogar quatro jogos da Premier League, mas por outras vezes sequer foi relacionado. Quando a poeira baixou, o brasileiro revelou que sofreu com um sério problema de saúde neste período: teve uma parada cardíaca e ouviu de médicos que deveria parar de jogar. Ele ainda voltaria ao Botafogo de Ribeirão Preto, time que o revelou, antes de anunciar a aposentadoria.


Alisson, hoje com 25 anos, foi um dos destaques da Roma na campanha semifinalista da última Champions League – o time foi eliminado justamente pelo Liverpool, por 7 a 6 no placar acumulado do confronto. Logo após a Copa, o clube inglês anunciou a compra do passe do brasileiro por 62,5 milhões de euros fixos - pode chegar a 75 milhões de euros, a depender do cumprimento de metas. O valor o torna o segundo goleiro mais caro de todos os tempos, atrás só de Kepa, que foi do Athletic Bilbao para o Chelsea por 80 milhões de euros também nesta janela. Um investimento para pôr fim à insegurança passada por Mignolet e Karius na temporada anterior, com o alemão sendo decisivo ao falhar duas vezes na final da Champions, contra o Real Madrid.


Ao menos nos dois primeiros testes, em amistosos contra times italianos, Alisson saiu-se bem. Nem o gol sofrido contra o Torino abalou a confiança da torcida, que o aplaudiu de pé quando foi substituído por Karius no segundo tempo.


- Eu vim aqui para fazer o meu melhor, como sempre fiz na Roma, como fiz no Internacional. Eu sempre deixo a minha vida dentro de campo, trabalho muito forte dentro de campo para corresponder as expectativas. Hoje as expectativas... Eu troco de clube num cenário diferente em que troquei o Internacional pela Roma. Eu era uma aposta no futebol europeu. Hoje eu chego num clube com uma afirmação maior e uma responsabilidade maior, ao mesmo tempo. Mas estou preparado para isso, trabalhando todos os dias para fazer bem nessa temporada.


Doni crê em período de adaptação e em sucesso de Alisson


Hoje empresário, Doni se lembra com carinho do período em Liverpool, apesar do susto pelo problema de saúde que enfrentou. O paulista acredita que, se tivesse seguido em Anfield por mais um ano, poderia ter tido mais oportunidades, uma vez que Pepe Reina não estava mais tão em alta quanto na época em que Cavalieri defendeu o clube. Dos três, vê Alisson claramente com muito mais chance de sucesso.


- Cavalieri, eu e o Alisson, foram três momentos diferentes. Acho que o pior momento de contratação relamente foi do Cavalieri porque ele veio com pouca experiência de ter jogado na Europa, numa situação onde o Pepe Reine estava no auge da carreira, muito bem. Eu peguei um momento um pouco melhor, onde o Pepe já estava desgastado por muitos anos de clube. Eu tive a infelicidade de ter o problema. Acabei jogando pouco, demorei para ter a oportunidade. No ano seguinte acredito eu, que vim a saber depois, eu teria mais oportunidades, tanto que acabou jogando o ano todo o Brad Jones, que no meu período tava como terceiro goleiro. Se eu permaneço um ano, acredito que teria sido outra história.


- A contratação do Alisson, de nós três, é a maior certeza de vitória, de sucesso na passagem dele. Mesmo porque o Liverpool buscava um goleiro para ser o primeigo goleiro, diferente de quando contratou eu e Cavalieri. Alisson vem de uma temporada espetacular no ano passado, excelente Champion League, uma boa Copa do Mundo. Acredito eu que o momento de contratação dos três é diferente. Não jogo de maneira alguma negatividade da passagem do Diego e da minha para o Alisson, porque é totalmente outra situação. Não tenho duvida nenhuma que o Alisson vai ter muito sucesso no Liverpool.


Por ter feito exatamente o mesmo caminho do gaucho, saindo da Roma para o Liverpool, Doni acredita que será preciso um período de adaptação para que Alisson se acostume às particularidades do futebol inglês.


-A principal mudança é o estilo de jogo de um país para o outro. O (Campeonato) Italiano é muito mais tático, muito mais estudado, e o Campeonato Inglês é muito mais rápido, mais forte, de contato. Depois de uma passagem pela Roma, eu tive no período de adaptação, o Alisson vai precisar. Você joga muito mais com o pé, mais rápido, para sair do gol é uma Guerra. Fico feliz que o John (Achterberg), treinador de goleiros da minha época, ainda está no Liverpool. Excelente treinador e pessoa. Ele sabe ajudar o goleiro a colocar velocidade nessa adaptaçã. É, um grande homem para ajudá-lo.

FONTE: G1

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados