Quinta, 23 de fevereiro de 201723/2/2017
(92) 98115-8357
Nublado
24º
28º
30º
Manaus - AM
dólar R$ 3,05
euro R$ 3,24
Pneu_Forte_Apa_Moveis
ESPORTES
Neto celebra a vida e diz não ter raiva dos responsáveis pelo acidente
Portal Holofote Manaus - AM
Postada em 10/01/2017 ás 20h55
Neto celebra a vida e diz não ter raiva dos responsáveis pelo acidente

Foto: Reprodução/Internet

Ainda em recuperação após deixar o hospital, o zagueiro Neto voltou a conversar com a imprensa nesta terça-feira. Um dos sobreviventes do acidente que vitimou jogadores e membros da comissão técnica e da diretoria da Chapecoense, o atleta deu uma lição de vida em relação a todo trauma pelo qual passou. Apesar de perder amigos e ficar em estado gravíssimo após a tragédia, o atleta diz não sentir raiva dos responsáveis pela queda do avião da equipe catarinense.

"Eu tenho coragem para conseguir seguir em frente. Não tenho raiva de ninguém. O que aconteceu foi uma loucura. Eu me lembro muito bem o que aconteceu no avião. Nós estávamos tranquilos, mas não tenho raiva do que o piloto fez. Eu consigo entender que a vida não é só isso para cada um de nós. A vida é curta, passa rápido", declarou o zagueiro Neto.

O defensor voltou a falar sobre o carinho que vem recebendo. Neto citou o apoio de alguns ex-companheiros de clube e mostrou apego à religião para agradecer pela oportunidade de estar vivo.

"A maioria dos jogadores que atuaram comigo mandou muitas mensagens. Não consegui nem responder a todos. É bacana sentir este carinho. Querem me ver de perto e me veem como uma pessoa especial. Tento seguir com gratidão a Deus por estar aqui. Todos que estavam aqui eram especiais. Me sinto privilegiado por Deus ter dado um tempo a mais para mim", afirmou.

Olhando para o futuro, Neto foi estimulado a analisar o que ele representa para a Chapecoense após o acidente que marcou a história do clube. O jogador, porém, diz não saber dimensionar ainda a sua importância para esta fase de reconstrução da equipe.

"Ainda não consigo ter este parâmetro do que eu represento para o clube. Estou aqui há dois anos e fui importante para o clube com conquistas, com atuações em jogos difíceis. Mas o que eu estou passando ainda é muito novo para mim. (As pessoas) dizem que eu represento todos que se foram, jogadores, comissão técnica, diretoria. Eu sinto isso também. O que eu posso fazer é passar força quando os que ficaram se sentirem desanimados. Mas ainda não sei o que eu represento. Sempre me senti importante para o clube lá dentro de campo, no vestiário, mas neste momento ainda não sei dimensionar", completou.


FONTE: Espn
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
imprimir
1.264